PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Novembro Azul e o câncer de próstata

 Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (seccional Goiás), Vagner Ruiz.
Foto: Ângela Scalon 
Da redação do JAL (Com informações de Goiás Agora)
O Instituto Nacional José de Alencar (Inca) estima que sejam diagnosticados 69 mil novos casos da doença até o fim de 2014 no Brasil – o que significa o surgimento de um novo caso a cada sete minutos. Diante desses dados alarmantes a campanha Novembro Azul, realizada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida em parceria com a Sociedade Brasileira de Urologia, pretende conscientizar os homens sobre a importância da prevenção para o diagnóstico precoce deste tipo de neoplasia. Um em cada seis homens terá câncer de próstata.
 Na mesma proposta do Outubro Rosa, que coloriu de rosa as fachadas de alguns prédios para alertar as mulheres sobre a prevenção ao câncer de mama, quatro hospitais públicos aderiram à campanha e tiveram a fachada iluminada de azul: Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), Hospital de Doenças Tropicais (HDT), Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) e Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).
 Preconceito x prevenção
De acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (seccional Goiás), Vagner Ruiz, o maior desafio é combater o preconceito arraigado no pensamento masculino. “Não existe sexo forte nem sexo frágil. Ambos estão propensos a determinadas doenças e o diagnóstico precoce pode interferir nos resultados do tratamento de uma série de patologias”, alerta.
 Homens acima de 50 anos devem fazer o exame anualmente. Para os que integram os grupos de risco com familiares que desenvolveram a doença ou os negros que apresentam alta incidência – recomenda-se a prevenção um pouco mais cedo, a partir dos 45 anos. O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no País, só perde para o câncer de pele não-melanoma, e o sexto de maior ocorrência no mundo.
 Tratamento
O índice de mortalidade é alto, chega a 20%. Vagner afirma que, apesar de não haver cura, o tratamento pode melhorar a qualidade de vida dos pacientes e, inclusive, garantir um ganho de sobrevida, mesmo quando a doença já se alastrou pelo organismo, a chamada metástase. No início, o câncer é silencioso, na maioria dos casos não há sintomas, daí a importância da realização de exames preventivos regularmente. “Como a grande maioria não dá sintomas no início, o tratamento depende única e exclusivamente da realização de exames periódicos para o diagnóstico precoce, que permite a cura em até 90% dos casos. Quando ele é tardio, a chance de cura cai para cerca de 15%”, informa.
 Para o rastreamento da doença, os médicos solicitam o exame de PSA (antígeno prostático específico), feito por meio da coleta de sangue, e o toque retal, pois os exames são complementares. Havendo alguma suspeita, o paciente deve se submeter à biópsia da próstata. Vagner explica que o toque retal é indispensável. O urologista afirma que é preciso ‘desmitificar’ o preconceito sobre o toque retal, que provoca piadinhas nos círculos dos ‘machões’. “É importante que o toque retal seja feito porque de 10 a 20% dos casos só serão identificados por meio dele, uma vez que o resultado da amostra de sangue aparece como normal. Ele dura, em média, dez segundos. Os homens devem ter consciência que também sofrem de doenças, que elas podem ser diagnosticadas mais cedo e, com isso, aumentam as suas chances de cura e de retomar as suas atividades produtivas”, pondera. O impacto provocado pela doença e pelo tratamento pode alterar a qualidade de vida e a sexualidade do homem: diminui a capacidade de ereção, aumenta o cansaço e a fadiga e promove limitações físicas.
 Distanciamento
O distanciamento do homem em relação à própria saúde se reflete no sistema de saúde brasileiro, como destaca Vagner. “Essa cultura que a gente chama de invulnerabilidade do homem é tão enraizada que até as políticas públicas de saúde para o homem demoraram muito tempo para acordar que a população masculina tinha necessidades e características próprias. Nossa Constituição Federal é de 1988, quando foi criado o Sistema Único de Saúde (SUS), e só em 2008 se criou a Política Nacional de Atenção ao Homem. Já havia a Política de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente, Gestantes, Mulheres e só depois de 20 anos foi-se descobrir os homens”, relata.
 Não há formas de prevenção da doença, mas os homens devem adotar um estilo de vida saudável. Evitar o fumo, a bebida alcoólica, comidas gordurosas e salgadas, fazer exercícios físicos e aumentar o consumo de frutas e verduras são atitudes que promovem a saúde e o bem-estar geral do indivíduo.
 PROSTATAPróstata
A próstata é uma glândula que faz parte do sistema genital masculino e produz parte do sêmen. PSA é uma substância produzida na próstata e é expelida junto com o sêmen. Células cancerosas aumentam a produção de PSA, mas tumor benigno e infecção da próstata (prostatite) também podem elevar a contagem desta substância, porém somente o câncer causa o endurecimento do tecido da glândula. Por isso o exame de toque não pode ser substituído.
 Foto: Ângela Scalon

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas