PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Água impulsiona criação de empregos e crescimento da economia, diz novo relatório da ONU

Lançado no Dia Mundial da Água e no contexto da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o Relatório demonstra o papel fundamental desempenhado pelos recursos hídricos na transição para uma economia verde


Daredação do JAL

Estima-se que três de cada quatro empregos de toda a força de trabalho global são forte ou moderadamente dependentes da água. Isso significa que a escassez de água e os problemas de acesso à água e ao saneamento podem limitar o crescimento econômico e a criação de empregos nas próximas décadas, de acordo com relatório da ONU. A edição de 2016 do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, Água e Emprego, também aponta que metade dos trabalhadores de todo o mundo – 1,5 bilhão de pessoas – está empregada em oito indústrias dependentes de recursos hídricos e naturais: agricultura, silvicultura, pesca, energia, manufatura intensiva de recursos, reciclagem, construção e transporte.
“A água e o emprego estão indissociavelmente ligados em vários níveis, quer seja na perspectiva econômica, na ambiental ou na social. Esta edição do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos inova ao relacionar a água a postos de trabalho de uma maneira ainda não vista em qualquer outro relatório anterior”, disse a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova.
Lançado no Dia Mundial da Água e no contexto da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, o Relatório demonstra o papel fundamental desempenhado pelos recursos hídricos na transição para uma economia verde.
“Essa análise destaca o fato de que a água é fonte de trabalho – ela exige dos trabalhadores a gestão hídrica segura e, ao mesmo tempo, ela pode gerar emprego e melhorar suas condições. Para que a Agenda 2030 tenha sucesso e para que possamos construir juntos um futuro sustentável, precisamos assegurar que os empregos ligados aos recursos hídricos sejam decentes, e que a água da qual todos dependemos seja potável”, disse o diretor-geral da OIT e presidente do UN-Water (ONU Água, em português), Guy Ryder.
Água como um motor de crescimento
Desde a sua extração até o seu retorno para o meio ambiente, por meio de diversos tipos de uso, a água é um fator chave na criação de empregos.
O Relatório destaca que “estimar a relação entre água, crescimento econômico e emprego é particularmente desafiador” e enfatiza que existe falta de dados, particularmente quando é preciso determinar em que grau os empregos são dependentes da água. Mesmo assim, oRelatório cita alguns estudos que mostram correlações entre água, investimentos relacionados e crescimento econômico.
O investimento de pequena escala em projetos que fornecem acesso à água potável e ao saneamento básico na África podem oferecer um retorno econômico estimado em cerca de 2,8 bilhões de dólares por ano, ou aproximadamente 5% do Produto Interno Bruto (PIB) do continente.
Esses tipos de investimento também parecem ter um efeito benéfico nas taxas de empregabilidade. Nos Estados Unidos, cada dólar investido no abastecimento tradicional de água no país e na infraestrutura para o tratamento gera entre 10 e 20 postos de trabalho adicionais. Enquanto isso, o Escritório de Comércio do Departamento de Análises Econômicas dos Estados Unidos (U.S. DepartmentofCommerce's Bureau ofEconomicAnalysis) constatou que para cada emprego criado na indústria local de recursos hídricos e na indústria local de águas residuais são criados 3,68 postos de empregos indiretos na economia nacional.
Outro estudo na América Latina verificou que cada 1 bilhão de dólares investidos na expansão do fornecimento de água e rede de saneamento resultaria diretamente em 100 mil empregos.
A transição para uma economia mais verde, na qual a água desempenha um papel central, também levará à criação de mais empregos. A Agência Internacional de Energia Renovável (InternationalRenewable Energy Agency – IRENA) estima que 7,7 milhões de pessoas já estavam empregadas no setor de energia renovável em 2014.
Água sob pressão
Há uma tensão crescente sobre os recursos de água potável, exacerbada pelos efeitos da mudança climática. A taxa de extração de águas subterrâneas cresce 1% por ano desde 1980. Entre 2011 e 2050, estima-se que a população global cresça 33%, de 7 para 9 bilhões de pessoas, enquanto a demanda por alimentação irá crescer 70% no mesmo período.
Além disso, o 5º relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IntergovernmentalPanelonClimateChange – IPCC) prevê que para cada grau de aquecimento global, aproximadamente 7% da população global enfrentará quase 20% de diminuição em recursos hídricos renováveis.
Essa projeção de escassez de água exigirá recursos hídricos não convencionais, como aproveitamento de águas pluviais, águas residuais recicladas e drenagem urbana. O uso desses recursos hídricos alternativos criará novos empregos no desenvolvimento de pesquisas e tecnologias e na implementação de seus resultados. O desenvolvimento em técnicas de previsão do tempo, em análise de riscos e a utilização de satélites de imagens são algumas áreas potenciais em que melhores oportunidades de emprego podem aparecer.
Água e saneamento, “Vagas disponíveis”
De acordo com o Relatório, quase 1% da força de trabalho total, tanto em países desenvolvidos quanto em países em desenvolvimento, trabalham atualmente em setores da 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas