PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Sargento da Polícia Militar mata caminhoneiro a tiros em Governador Valadares

O crime foi na manhã desse domingo. A mulher da vítima registrou tudo com uma câmera de celular. O assassino está desaparecido




A Polícia Civil de Governador Valadares, no Vale do Rio Doce, pediu a prisão preventiva do policial militar Júlio César da Silva, de 44 anos, que matou a tiros Fábio Aguiar de Morais, de 36 anos. O crime aconteceu na manhã desse domingo, no Bairro Santa Rita, e foi registrado em vídeo pela esposa da vítima. O motivo do homicídio ainda é desconhecido. 
As imagens de um telefone celular mostram o bate-boca já em andamento. O policial militar, à paisana, vestido com uma camisa do Atlético, está segurando um revólver, à porta de um bar. No meio da rua, o caminhoneiro, sem camisa, com as mãos para trás, esconde um facão. Os dois trocam ofensas e ameaças: "Dá mais um passo pra você ver", diz o policial. "Você não é homem, você é homem com o revólver na mão", responde o caminhoneiro. "Você é homem pra sua família", retruca o policial. "Bate na sua mulher, bate nos seus parentes lá". diz o policial. 
A mulher do caminhoneiro, postada atrás do marido, é quem grava as imagens. Um filho do casal, ao lado da mulher, tenta contato telefônico com a polícia e, a certa altura, diz: "não tá atendendo, não." O policial à paisana também tenta acionar a PM com um celular, enquanto ele e o caminhoneiro seguem se ameaçando: "Você não vai me dar tiro, não, que eu vou rasgar você todo", anuncia o caminhoneiro. "Entra, então, que eu vou passar ocê (sic) no tiro", retruca o policial. 
Finalmente, o filho do casal consegue contato telefônico com o 190: "Tem um policial aqui armado ameaçando", diz a voz. E os que estão próximos reforçam, "tá ameaçando, tá ameaçando!" Mas já era tarde para evitar o crime. O caminhoneiro reaparece na imagem, já sem o facão. O policial desdenha: "Cê correu com a faca? Corre com a faca que eu te corto no tiro". "Que vai cortar o car...," desafia o caminhoneiro. O policial então larga o celular no asfalto e dispara a arma. Cinco tiros são ouvidos. A mulher grita desesperada e as imagens balançam, já não é mais possível ver a vítima. O policial fica à porta do bar, ainda com a arma  do crime na mão. "Eu não acredito!", grita a mulher. "Chama a polícia depressa! Seu desgraçado!"

Fonte: em.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas