PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Marconi faz, nos Estados Unidos, palestra sobre alternativas para superação da crise brasileira

A convite da Universidade de Harvard e do MIT, Marconi faz, nos Estados Unidos, palestra sobre alternativas para superação da crise brasileira

Da redação JAL
Governador participa, dias 22 e 23, da 2ª edição da Brazil Conference, em Cambridge, e no sábado fala sobre propostas para a superação da crise econômica nacional e alternativas para o desenvolvimento do Brasil
? Marconi embarca nesta noite para os Estados Unidos e retorna ao Brasil no domingo

A convite da Universidade de Harvard e do Massachussets Institute of Tecnology (MIT), o governador Marconi Perillo faz palestra neste sábado (23 de abril), em Cambridge (Massachussets, Estados Unidos), sobre propostas para a superação da crise econômica nacional e alternativas para o desenvolvimento do Brasil. A palestra do governador integra a 2ª Edição da Brazil Conference, nos dias 22 e 23 de abril, promovida em conjunto pelas duas instituições de ensino norte-americanas, consideradas entre as melhores do mundo em suas áreas de formação.

Marconi embarca para os Estados Unidos na noite desta quarta-feira (20/4), chega a Boston amanhã (21/4) e na sexta-feira (22/4) acompanha, na cidade vizinha de Cambridge, as palestras do primeiro dia de atividades da Brazil Conference. A palestra do governador será no sábado (23/4), às 15h10 (hora local), no Auditório Austin Hall, da Escola de Direito de Harvard, será mediada pelo professor Marcos Degaut. Marconi retorna a Goiás no domingo (24/4). O secretário de Desenvolvimento Econômico, Thiago Peixoto, acompanha o governador na missão oficial.

A Brazil Conference tem por objetivo discutir medidas de sustentabilidade econômica e social para o País – cuja economia, por sua dimensão e diversificação é alvo de enorme interesse dos Estados Unidos – nos próximos anos. Na palestra, Marconi vai debater, por cerca de 40 minutos, a proposta de descentralização administrativa como possível alternativa para a crise brasileira. O governador vai mostrar alternativas para o desenvolvimento para o Brasil, por meio de sua experiência na administração do Estado de Goiás, e de superação da crise econômica, com a implantação do Consórcio Brasil Central.

Único governador brasileiro a discursar no evento, Marconi vai mostrar alternativas para o desenvolvimento para o Brasil, por meio de sua experiência na administração do Estado de Goiás, e de superação da crise econômica, com a implantação do Consórcio Brasil Central. O consórcio é presidido por ele e reúne governadores de sete Estados brasileiros. Apesar de estar em sua segunda edição, a Brazil Conference já se tornou referência na formulação de propostas para o desenvolvimento brasileiro e pela plenária da qual participará Marconi já passaram o ex-governador e ex-ministro José Serra e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

“Em momento de crise, onde os repasses federais caíram significativamente, é fundamental termos alternativas. Com o consórcio, os Estados passam a ter poder de formular e executar projetos de desenvolvimento regional, seja por Parceria Publico Privada (PPP) ou concessões”, antecipou o governador. Segundo pesquisa do próprio consórcio, o modelo criado no Brasil Central e idealizado por Marconi é o único no mundo. “Vou falar sobre nossa experiência em governança deste novo modelo de desenvolvimento regional e nacional”, afirmou o governador, antes de embarcar.

Conferência
A Brazil Conference é uma reunião anual. Sua primeira edição ocorreu no ano passado. Neste ano, o evento ocorre entre os dias 22 e 23 de abril. No primeiro dia, as palestras estão concentradas no MIT e no segundo, em Harvard – as duas universidades estão localizadas em Cambrigde. A conferência é apoiada pela Fundação Lemann.

Serão 54 palestrantes de diferentes áreas. O controlador da Ambev, Jorge Paulo Lemann; o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; o presidente da BRF, Abílio Diniz; o jornalista William Waack; e o diretor-executivo pelo Brasil do Fundo Monetário Internacional (FMI), Otaviano Canuto, são apenas alguns dos nomes que irão promover a discussão plural sobre o País.

O Brasil será abordado por quatro eixos diferentes. O primeiro será o de Pessoas, onde assuntos como saúde, educação, pobreza e segurança pública serão discutidos para tentar responde a pergunta: O que o Brasil tem de ensinar e de aprender sobre como melhorar a vida das pessoas comuns?

O segundo eixo temático será o Global, onde os debatedores vão buscar respostas para o papel do Brasil, num mundo mais globalizado e onde a sustentabilidade se impõe cada vez mais. A palestra de Marconi ocorrerá dentro deste eixo.

No terceiro, serão discutidas as Fundações e suas bases institucionais políticas e econômicas necessárias para o desenvolvimento do País. O quarto, chamado Imaginação, ganha destaque a tecnologia, inovação e experimentação institucional para definir parâmetros de como a criatividade pode mudar a realidade do País.
"Temos de dizer 'sim' para o Brasil", diz Marconi ao avaliar crise econômica nacional em Cuiabá

Em discurso na abertura da Feira Internacional de Turismo do Pantanal (FIT Pantanal) e do Congresso da Zona de Integração do Centro-Oeste Sul-Americano (Zicosur), o governador Marconi Perillo afirmou nesta quarta-feira (21/4), em Cuiabá (MT), que a crise política e econômica são oportunidade para que os brasileiros se unam para dizer "sim" para o Brasil. A convite do governador Pedro Taques, Marconi esteve na FIT Pantanal/Zicosur após a reunião do Consórcio Brasil Central, realizada na capital matogrossense, e aproveitou a oportunidade para afirmar que o País vai precisar muito dos governadores e dos prefeitos para atravessar este período.

“Nós temos que dizer sim ao Brasil, dar a nossa parcela de contribuição para vencermos os desafios que virão”, afirmou Marconi. O governador afirmou que a recuperação econômica passará necessariamente pelos Estados do Brasil Central, que geram atualmente R$ 20 bilhões de superávit na balança comercial brasileira, e lembrou que o desenvolvimento da infraestrutura, do turismo, do setor de comércio e serviços resultantes da integração entre os Estados do bloco farão com que a região saia na frente na superação da crise.

Marconi disse ainda, por ocasião da realização da Zicosur – região formada pelo Norte da Argentina, pelo Paraguai, pelo Sul da Bolívia, pelo Sudoeste do Brasil e pelo Norte de Chile – que o Brasil Central deve se associar em bloco com o aglomerado de regiões latino-americanas para promover as obras e investimentos conjuntos. A Zicosur foi criada para promover o desenvolvimento econômico e comercial, principalmente através dos chamados Corredores Biocêanicos, aproveitando os portos do Chile, para conduzir o fluxo de comércio até os mercados da Ásia-Pacífico, espalhando a oferta exportável da Sub-Região.

No discurso, o governador enfatizou que o Brasil Central é estratégico economicamente, tem dado resultados positivos na economia e um deles se refere à Balança Comercial, que gerou, em 2015, R$ 20 bilhões em superávit. Na cidade desde ontem, onde, na qualidade de presidente do Fórum de Governadores do Brasil Central, comandou o dia de reuniões do grupo, o governador disse que o centro brasileiro abriga os estados que dão certo, que comandam os melhores índices da economia brasileira, citando ainda a geração de empregos.

Marconi elogiou os dois eventos que, simultaneamente são realizados na capital mato-grossense até o próximo domingo, reunindo representantes de vários países da América Latina e da China. “Nos associamos ao Mato Grosso para divulgar nossos destinos turísticos. Este, sem dúvida, é um dos mais belos estados brasileiros”, observou.

A primeira edição da FIT Pantanal, sob o tema “Turismo: um grande negócio”, tem como objetivo promover os destinos de Mato Grosso, bem como estimular a comercialização de pacotes para a região. A feira tem a participação de empresários, representantes do setor público e consumidores finais, e conta com um festival gastronômico com pratos típicos da culinária mato-grossense, além de um espaço dedicado à exposição de artesanato com destaque para o trabalho desenvolvido pelas associações de artesãos e artes indígenas.

A reunião da Zicosur tem por objetivo reunir em um mesmo período autoridades governamentais e líderes empresariais para estreitar as relações e também criar formas de alavancar o turismo e a economia dos seis países pertencentes ao bloco. Na área de turismo, entre os assuntos que serão discutidos durante as reuniões das comissões técnicas do Zicosur, está a elaboração de um mapa de atrativos turísticos dos estados e a elaboração de rotas turísticas.

Em Cuiabá, os integrantes da Zicosur retomam as discussões para criar uma nova forma de escoar a produção de Mato Grosso pelo oceano pacífico. Entre os assuntos que serão colocados em discussão está a ferrovia bioceânica, que tem o objetivo de cruzar o País saindo do Porto Açu (RJ), passando por Goiás, Mato Grosso, Rondônia e Acre chegando ao Oceano Pacífico pelo Peru.

Há ainda em debate no bloco a proposta de pavimentar 300 quilômetros de estrada de terra, entre Cáceres a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. Para essa pavimentação em território boliviano o custo estimado é de R$ 400 milhões. Outra proposta é a modernização da ferrovia, que liga Antofagasta, no Chile, a Resistência, na Argentina. Paralelo às reuniões de comissões de turismo e infraestrutura, a de indústria e comércio irá discutir a implementação de um fluxo de comércio entre os estados brasileiros que integram o Zicosur (MT, MS e SC) e os países da Ásia e do Pacífico.Fonte J.Bitemc

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas