PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Juiz envia processo de envolvidos no Caso Santo Daime para Vara dos Crimes Punidos com Reclusão

Diante das provas apresentadas, Jesseir Coelho verificou que, de fato, não houve como sustentar a denúncia em desfavor de Cláudio pelo homicídio e ocultação do cadáver da vítima

Da redação do JAL
O juiz Jesseir Coelho de Alcantara, da 1ª Vara Criminal de Goiânia, redistribuiu os autos de Cláudio Pereira Leite, acusado por ocultação do cadáver de Deise Farias Ferreira, e outros quatro, acusados por falso testemunho, para uma das Varas dos Crimes Punidos com Reclusão de Goiânia. O magistrado entendeu que, por não se tratar de crime doloso contra a vida, o juízo da 1ª Vara Criminal não possui competência para processar e julgar o feito.
Após as investigações do crime, Antônio David dos Santos Filho foi indiciado por homicídio e ocultação de cadáver, Cláudio por ocultação de cadáver e quatro pessoas por falso testemunho. Contudo, Antônio David foi assassinado por presos no dia em que foi encaminhado para o Centro de Triagem de Aparecida de Goiânia.
O representante do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO) pediu a extinção da punibilidade de Antônio David, uma vez que não há indícios para afirmar que Antônio tenha matado Deise a mando de Cláudio, não sendo possível sustentar a denúncia contra ele por homicídio. Dessa forma, como Cláudio, supostamente, cometeu o crime de ocultação de cadáver e os outros foram indiciados pela autoridade policial pelo crime de falso testemunho, o promotor disse que nenhum deles estão sendo indiciados por crime doloso contra a vida, não sendo competência deste juízo.
Ao analisar as provas apresentadas, Jesseir Coelho verificou que, de fato, não há como sustentar a denúncia em desfavor de Cláudio pelo homicídio de Deise, somente pelo crime de ocultação de cadáver. Concordou, então, com o promotor de justiça, declarando a incompetência do juízo da 1ª Vara Criminal para julgar o caso.
Caso Santo Daime
No dia 11 de julho de 2015, Deise Farias Ferreira, de 41 anos, participou de um retiro espiritual do Instituto Espiritual Xamânico Céu do Patriarca e da Matriarca, na Chácara Territa, coordenado pelo “padrinho” Cláudio Pereira Leite. No local, Deise, assim como os outros membros do grupo, consumiu o chá ayahusca, também conhecido como Santo Daime.
Por volta das 23 horas, ela decidiu ir embora. Os acusados alegaram que Cláudio pediu que Antônio desse carona a Deise, mas informaram que ela iniciou uma caminha pela estrada, tendo perdido-a de vista. Disseram ainda, que mesmo tendo saído logo em seguida com o veículo pela mesma via, não conseguiu encontrá-la. Deise não foi mais vista e até hoje seu corpo não foi encontrado. Veja a decisão.


Fonte: Comunicação Social do TJGO




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas