PLANTÃO DE NOTÍCIAS

*MULHER TRAMA MORTE DO MARIDO; CASO RESOLVIDO PELO 1º DPP DE APARECIDA*

Da redação JAL
,SEXTA-FEIRA PRODUTIVA PARA POLÍCIA CIVIL: VÁRIOS CRIMES ELUCIDADOS E PRISÃO DE DIVERSOS SUSPEITOS*

O trabalho de investigação realizado por equipes da Polícia Civil resultou, nas últimas horas, na solução de vários crimes praticados em todo o estado. Para esses resultados, a Polícia Civil conta com um quadro de profissionais altamente qualificados e preparados para reunião e análise de informações que norteiam as linhas de investigação em cada caso. O índice de resolutividade de crimes no estado de Goiás é um dos maiores do país, e nenhum caso de grande repercussão tem ficado sem ser esclarecido pelas equipes especializadas e regionais.

Uma das soluções apresentadas pela Polícia Civil em Goiânia, nesta sexta-feira (13/5), refere-se a uma série de crimes cometidos por quatro jovens universitários que, num Ford Focus de cor branca, percorriam as ruas da cidade e usavam estilingues para arremessar bolas de gude contra fachadas de vidro em concessionárias de veículos e outras lojas, além de ferir pessoas nas ruas. Os crimes eram cometidos quando os estudantes de Medicina Veterinária faziam o trajeto de ida ou de volta da UniAnhanguera, em Anápolis, onde estudavam. Dois dos autores tiveram suas prisões temporárias decretadas, um terceiro foi ouvido pela polícia e confessou a participação nos crimes, bem como de uma jovem colega de curso que será ouvida nas próximas horas pelo Grupo Antissequestro da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

Outro caso desvendado pela Polícia Civil em menos de oito horas após o crime foi o do assassinato do ex-fuzileiro naval e empresário Cléber França Furtado, na noite de quarta-feira (11/05), em um bar do setor Vera Cruz II, em Goiânia. O delegado adjunto da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), Thiago Martiniano, e o agente Cláudio Pedroso foram ao local do crime, ouviram testemunhas e viajaram até a cidade de Mairipotaba (GO), onde o autor do homicídio, o marceneiro João Jacinto de Oliveira Filho, que matou por causa de uma dívida, foi preso e autuado em flagrante por homicídio qualificado e posse ilegal de arma.

Ainda na manhã desta sexta-feira, a Polícia Civil divulgou o resultado das investigações de outro assassinato, desta vez, em Aparecida de Goiânia. Na 1ª Delegacia, o titular Diogo Rincon apresentou os autores da morte de Rogério de Paula Silva, ocorrido na madrugada no dia 7 de fevereiro deste ano. Inicialmente, os policiais trabalharam com a hipótese de latrocínio. No entanto, comprovaram que se tratou de um assassinato arquitetado pela esposa Elisangela Eurípedes da Silva e pelo amante dela, André Luis Cordeiro da Rocha, que foram presos e serão autuados por homicídio qualificado por motivo torpe.

*COMPETÊNCIA E INTEGRAÇÃO*
Essas investigações realizadas pela Polícia Civil e que culminaram na solução de diversos crimes demonstram a competência e a determinação das forças policiais do estado em garantir a segurança da população. Além do trabalho integrado entre diferentes equipes de unidades da própria Polícia Civil, a cooperação entre as forças policiais civis e militares tem feito avançar a política de segurança pública do estado de Goiás, integrando desde o planejamento até a operacionalização das ações e partilhando instrumentos necessários ao combate à criminalidade em todas as regiões.

*CÂMERAS DE SEGURANÇA COLABORARAM COM RESOLUÇÃO DO CASO DAS CONCESSIONÁRIAS*

As investigações relativas aos crimes contra as concessionárias, lojas e pessoas atingidas com bolinhas de gude na capital começaram com a análise de câmeras de segurança nas empresas depredadas. As imagens mostravam um Fox Focus branco passando e, em seguida, o barulho dos vidros quebrando. A partir daí, a equipe do Grupo Antissequestro da DEIC, comandada pelo delegado Waldemir Pereira da Silva, pediu ao Detran-GO que informasse os proprietários de todos os veículos daquele modelo. De acordo com o delegado titular, Thiago Damasceno, o Detran-GO encaminhou 1.080 placas que foram investigadas até se chegar ao veículo usado nos crimes, de propriedade do pai de Adriano Araújo Dias, de 24 anos, estudante de Medicina Veterinária em Anápolis. Com ele, foi apreendido o veículo e também algumas bolinhas de gude.

Contra ele foi expedido mandado de prisão temporária que foi cumprido na segunda-feira, (09/5). Depois de ouvi-lo, os policiais pediram também a prisão temporária de Ygo Murilo Maria Silva, 29 anos, colega de curso de Adriano. O mandado foi cumprido na quinta-feira (12/05). Antônio Carlos Vieira Filho, 22 anos, que estava com Ygo no momento em que os policiais cumpriam o mandado foi conduzido à delegacia para ser ouvido e confessou a sua participação e, também, de uma estudante que, além de participar dos crimes, era quem decidia os alvos a serem atingidos. Ela será ouvida pela DEIC.

As investigações, segundo o delegado Thiago Damasceno, se intensificaram a partir do dia 11 de abril, quando num mesmo dia, o bando atacou pela manhã, entre 11h30 e 11h51, o Auto Posto Videira, no Jardim Guanabara I, a Concessionária Nissam Katana, a jovem Juliana Bezerra, Martinho Miranda da Silva, a Concessionária Tecar Fiat e a Concessionária Tractorgyn, todos no Setor Santa Genoveva. A partir das 13h05 até 16h08, eles fizeram, entre outras vítimas, as concessionárias Detroit Jeep, Saga Nissan e Saga BMW Mini, do Grupo Saga, no Jardim Goiás; Honda Tecar, no Jardim Goiás; Hyundai Saga, do Grupo Saga, no Setor Bueno; e Pinauto, no Setor Marista.

Ao serem interrogados, disseram que cometem esses crimes sem motivo específico. Até o momento, 12 concessionárias e duas outras lojas foram vítimas da atrocidade dos estudantes, além de oito pessoas que foram lesionadas em diferentes partes do corpo. Por ora, serão indiciados por crimes de dano ao patrimônio particular e lesões corporais. De acordo com o delegado, com a divulgação da notícia da prisão dos criminosos, outras vítimas poderão aparecer, uma vez que eles mesmos confessaram estar agindo há pelo menos um ano.

*PRESO MARCENEIRO SUSPEITO DA MORTE DE EX-FUZILEIRO NAVAL*

Na Delegacia de Homicídios, o marceneiro João Jacinto de Oliveira Filho, de 44 anos, com histórico criminal de violência doméstica e que morava com a segunda esposa, no Vera Cruz II, foi apresentado como autor do assassinato do ex-fuzileiro naval e empresário Cléber França Furtado, de 40 anos e pai de três filhos menores, que foram criados por ele.  O crime foi motivado por uma dívida. Segundo apuraram os policiais, Cléber havia encomendado um guarda-roupas ao marceneiro por pouco mais de R$ 3 mil, tendo pago parte desse valor.  E que João Jacinto, embora não tenha terminado o móvel, achou-se no direito de receber o restante. E desde novembro o marceneiro cobrava e quando chegava no dia 10 o pagamento não era feito.

Na noite do crime, o marceneiro foi a um bar onde estava o ex-fuzileiro e cobrou dele o restante. Cléber teria dito que só tinha R$ 450. João Jacinto voltou em casa na sua Parati azul, modelo 93, e pegou uma espingarda calibre 36. Na frente de clientes e frequentadores do bar, ele desceu do carro com a espingarda em punho e disparou primeiro para o alto. Depois recarregou a arma e apontou para o peito de Cléber que ainda pediu para ele não atirar porque estava desarmado. Depois de atirar, o marceneiro entrou no carro e fugiu. Cléber chegou a ser socorrido no Hugol, mas não resistiu ao ferimento.

Durante as investigações, o delegado adjunto Thiago Martiniano e o agente Cláudio Pedroso descobriram que o suspeito tinha parentes na cidade de Mairipotaba - a 95 quilômetros de Goiânia - e saíram em sua perseguição, encontrando o veículo do suspeito em via pública enquanto João Jacinto comprava pão em um supermercado. A arma usada no crime não foi encontrada pelos policiais que, em busca na residência do marceneiro, encontrou uma carabina calibre 22. Ele foi preso em flagrante e conduzido à DIH, onde foi autuado por homicídio e também por posse ilegal de arma de fogo.

*MULHER TRAMA MORTE DO MARIDO; CASO RESOLVIDO PELO 1º DPP DE APARECIDA*

Na manhã desta sexta-feira (13), o delegado Diogo Rincon, da 1ª DDP de Aparecida de Goiânia, apresentou outro caso de autoria de homicídio. Trata-se do assassinato na madrugada de 7 de fevereiro deste ano, de Rogério de Paula Silva, morto com dois tiros na cabeça. Durante as primeiras investigações, os policiais suspeitaram que se tratava de um assalto com morte (latrocínio) mas, ao aprofundar as investigações, chegaram à conclusão de que a sua morte havia sido tramada pela esposa, Elisângela Eurípedes da Silva, e pelo amante dela, André Luis Cordeiro da Rocha. Levantada a autoria do crime, a equipe da 1ª DDP de Aparecida conseguiu localizar e prender os suspeitos que vão ser indiciados por homicídio qualificado.

*FOTOS: WILDES BARBOSA* 

*Comunicação Setorial*
Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP)Fonte J.Bitemc

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas