PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Distrito Federal: Polícia Civil prende grupo que aplicava golpe do falso emprego


Oito integrantes de uma associação criminosa que aplicava o golpe do falso emprego, em todo o País, foram presos pela Polícia Civil do DF. As prisões e mandados de busca ocorreram, durante a Operação Fake Job, na cidade de São Paulo e em Praia Grande (SP). A ação foi realizada, após investigação de um ano, por policiais da Divisão de Defesa do Consumidor (Dicon) da Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (CORF).

Conforme investigado, os criminosos anunciavam ofertas de emprego, principalmente de vagas para recepcionistas e porteiros, em sites e em jornais de grande circulação. Porém, quando a vítima entrava em contato interessada pela vaga, eles informavam a necessidade de fazer um curso a distância no valor de R$ 150. A promessa era de que, após esse curso, os candidatos seriam admitidos. A vítima fazia o curso online simplificado, com videoaulas, e recebia um certificado, mas o emprego prometido não existia.

O líder da organização criminosa, Renan Romero Dias, 34 anos, ainda está foragido. Ele montava escritórios que funcionavam como um telemarketing, onde havia a oferta dos cursos aos interessados em empregos.

Também eram recrutadas pessoas para trabalharem nesse escritório, especialmente jovens de regiões carentes. Muitos não sabiam que ofereciam uma falsa vaga de trabalho e, apesar de trabalharem das 8h às 18h, no escritório, somente recebiam uma comissão de R$ 25 para cada curso vendido.

Os oito presos serão indiciados pelos crimes de estelionato e associação criminosa, respondendo por até 13 anos de prisão. Haverá também investigação sobre a prática dos crimes de lavagem de dinheiro, especialmente contra o líder Renan, devido ao uso de contas de terceiros para os pagamentos dos cursos online e pela aquisição de um patrimônio ilícito.

Ressalta-se que Renan já foi indiciado em 2005, em São Paulo, por estelionato; em 2007, pelo mesmo crime, em Santa Catarina; e em 2010, uma empresa dele, nos mesmos moldes das de SP, foi fechada em Foz do Iguaçu/PR.

A Operação Fake Job, da PCDF, recebeu o apoio de policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE/SP) e da delegacia sede de Praia Grande/SP.

Divisão de Comunicação/DGPC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens do modelo de Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas