PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Ainda não se formaram e já desrespeitam a ética profissional


SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sete estudantes do curso de medicina da UVV (Universidade Vila Velha) criaram polêmica ao postar uma foto nas redes sociais vestindo jaleco branco, com as calças abaixadas e fazendo um gesto com as mãos que remete ao órgão sexual feminino.
O CRM (Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo) informou que se reuniu com a coordenação do curso de medicina da universidade e "confirmou a autenticidade dos fatos". Como os envolvidos ainda são estudantes, o conselho não pode aplicar uma punição.
Segundo o conselho, ficou definido que a instituição de ensino vai aplicar a punição e marcar uma reunião com os sete alunos para que o CRM-ES esclareça "sobre  a seriedade do caso e o flagrante desrespeito à ética profissional".
A universidade declarou que repudia todas as formas de ofensa, desrespeito e exposição indevida de uma profissão. Segundo a instituição, os alunos serão ouvidos e alertados sobre a gravidade da publicação. Também será aberto um processo de sindicância para apurar o caso.
Em nota, a instituição disse que "os atos dos alunos foram iniciativas pessoais e em completo desacordo com orientações que recebem dos professores e coordenadores da instituição ao longo da sua formação acadêmica”.
Internautas reproduziram as imagens nas redes sociais criticando a atitude dos estudantes. Muitos escreveram que eles "já estão desrespeitando a ética profissional" antes de se formarem.
De acordo com o advogado Felipe Bortoli, que representa os estudantes envolvidos na polêmica, os futuros médicos "lamentam muito a repercussão negativa da publicação".
"Se, em algum momento a atitude feriu a honra ou denegriu qualquer classe profissional, a instituição ou o gênero feminino, esta não era a intenção da postagem e, em momento algum, existiu uma conotação sexual", disse o advogado.
Os alunos, familiares, advogados, representantes da Universidade Vila Velha e do Conselho Regional de Medicina, se reuniram na tarde desta terça-feira (11/04) na universidade, mas o conteúdo da reunião não foi divulgado.
Ainda não há uma definição sobre possibilidades de punição. De acordo com a UVV, os casos serão analisados individualmente e as sanções variam entre advertência escrita, suspensão de 3 a 5 dias úteis das aulas e até mesmo a expulsão da instituição.
As duas fotografias envolvendo alunos de medicina foram feitas durante uma sessão de fotos para o álbum de formatura e publicadas pelos próprios estudantes em redes sociais, com hashtags ofensivas.

(Diário de Goiás/JAL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas Desenvolvido por Blogger Copyright © 2016

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas