PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Familiares acusam hospital do DF de trocar corpos de pacientes


Segundo a filha de um dos mortos, Hagda Daiany, o cadáver de Pedro Gabriel de Albuquerque foi confundido com o de outra pessoa



iagnosticado com pneumonia, o aposentado Pedro Gabriel de Albuquerque, 80 anos, morreu na última sexta-feira (8/6). Porém, três dias depois do falecimento ainda não conseguiu ser cremado pela família. Tudo porque, segundo parentes, o hospital particular São Mateus, no Cruzeiro, onde o idoso estava internado, teria trocado o corpo dele com o de outro paciente.


A filha Hagda Daiany Rosa de Albuquerque afirma que foi informada de que o cadáver do pai estava localizado em uma das gavetas superiores do necrotério do hospital. Mas levou um susto quando abriram o compartimento para o reconhecimento. “Meu pai é branco e o outro senhor era moreno. Não sei como puderam se confundir assim”.
Ela acusa a direção do hospital de ter sido negligente. “Me deixaram duas horas e meia esperando. Não mandaram ninguém para solucionar o problema. E se eu não percebo o erro? Quem eles iam enterrar?”, questiona, revoltada.

Após o transtorno, ela promete entrar com uma ação judicial contra a unidade de saúde e se diz revoltada com o acontecido. “É uma falta de respeito sem tamanho. Nem desculpas eu recebi. Tive que mudar todo o cronograma”.

O caso é investigado pela 3ª Delegacia de Polícia (Cruzeiro). De acordo a PCDF, o corpo do aposentado chegou a ser levado por engano pela outra família, que percebeu o equívoco e comunicou o hospital e a funerária Boa Esperança, responsável pelo transporte.

Já o proprietário da funerária, Fernando Vieira, 26, disse que não houve “nada de anormal” no episódio. Segundo ele, o culpado pela confusão é a própria unidade hospitalar. “Nos comunicaram que que a família havia reconhecido e que era para irmos lá pegar o corpo. Nosso procedimento normal de todo dia”, explica.

Ele conta que demorou pouco menos de 15 minutos para os envolvidos perceberem o engano e comunicarem a empresa. “Foi tudo muito rápido. Nem tiramos o corpo do carro. Nos avisaram e retornamos”.

Procurada pela reportagem, a outra família envolvida afirmou que não iria se pronunciar sobre o caso, mas lamentou o ocorrido. Já a direção do hospital São Mateus não retornou aos contatos da reportagem.

Segundo a filha de Pedro, o corpo do aposentado seria cremado às 15h desta segunda-feira (11), em Formosa (GO). Porém, em decorrência do equívoco, teve que ser adiado para as 17h. “Mudei todo o cronograma. Estou tentando resolver tudo, mas foi uma dor de cabeça muito grande”, reclama.

Fonte: Metrópoles/Jornal Águas Lindas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas