PLANTÃO DE NOTÍCIAS

A dois anos dos Jogos, veja os brasilienses que podem medalhar em Tóquio


Cidade tem esperança em alguns atletas que, muito provavelmente, estarão no Japão
Atletas brasilienses podem chegar a Tóquio com chance de medalha


Em 24 de julho de 2020 começará a Olimpíada de Tóquio. A 720 dias da abertura, alguns brasilienses são destaques nas suas modalidades e podem conquistar medalhas para o Brasil. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) divulgou nesta terça, 24, o planejamento e a logística das modalidades, estimando 250 competidores para o evento.

O atleta que mais desponta na sua modalidade é Caio Bonfim, da marcha atlética. Na última Olimpíada, Rio-2016, na marcha de 20km, a especialidade dele, ficou em quarto lugar, apenas cinco segundos atrás do medalhista de bronze. No Campeonato Mundial de Atletismo, que ocorreu em Londres, no ano passado, Bonfim bateu o recorde brasileiro da marcha de 20km, conquistando a medalha de bronze, com o tempo de uma hora, nove minutos e quatro segundos.

Recentemente, ele foi pego em exame antidoping, no qual testou positivo para diurético. A defesa dele, porém, provou que o uso de um suplemento alimentar adulterado foi a causa da alteração. Acabou sendo suspenso por seis meses. Caio está liberado para competir já em setembro e está se preparando para o Campeonato Mundial de Atletismo em Doha, no fim de 2019.

Tandara Caixeta, atleta do Osasco-SP, é uma das estrelas da companhia da Seleção de José Roberto Guimarães. A equipe de vôlei feminino do Brasil sempre entra como uma das favoritas nas competições. Com a Seleção, Tandara conquistou a medalha de ouro em 2012, na Olimpíada de Londres, além de dois Grand Prix (2014 e 2017) e uma Copa dos Campeões (2013).

Érika Miranda é outra atleta importante nascida na capital federal. Ela participou das últimas duas Olimpíadas. Na Rio-2016, ficou em quinto lugar. Ela compete na categoria até 52kg. É tetracampeã pan-americana (2012, 2014, 2015 e 2016). Tem também, um vice-campeonato mundial (2013) e foi campeã no Grand Slam de Baku-2015. A Tóquio, chegará com 33 anos.

Outro nome de peso é Bruno Schmidt, brasiliense campeão olímpico de vôlei de praia em 2016, com Alison. Além da medalha de ouro, eles ganharam a Copa do Mundo (2015), o Circuito Mundial (2015), o World Tour Finals (2015/2016) e o Circuito Brasileiro (2015/2016). A dupla anunciou o fim da parceria em maio deste ano. Agora, Bruno fará dupla com Pedro Solberg, que já foi parceiro dele em 2013. Esse novo time vai em busca da classificação para Olimpíada.

Bernardo Oliveira é atleta de tiro com arco e participou da última Olimpíada. Não teve um bom resultado individual, mas, com a equipe brasileira, vem crescendo nas competições. O time, composto por Bernardo, Marcos Vinícius e Daniel Xavier, se tornou destaque nas competições internacionais. Chegou até as oitavas de final na Olimpíada do Rio e conquistou a medalha de bronze no Pan adulto em 2015, no Canadá. O candango e a equipe brasileira devem brigar por uma medalha em Tóquio.

Fonte: Mais Esportes/Jornal Águas Lindas





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas