PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Corpo do ex-governador Joaquim Roriz é sepultado no Campo da Esperança

Cerca de 5 mil pessoas acompanharam a cerimônia fúnebre nesta sexta-feira (28/9) e prestaram as últimas homenagens ao político que redesenhou o Distrito Federal. O velório ocorreu no Memorial JK, desde as 15h de quinta-feira (27/9).

     Cortejo chega ao Campo da Esperança: cerca de 5 mil pessoas acompanharam o funeral 
         (foto: Valério Ayres/CB/D.A.Press)





 corpo do ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz foi sepultado ao meio-dia desta sexta-feira (28/9), no Cemitério Campo da Esperança. Cerca de 5 mil pessoas acompanharam a cerimônia fúnebre e prestaram as últimas homenagens ao político que redesenhou o Distrito Federal. O velório de Roriz ocorreu no Memorial JK, desde as 15h de quinta-feira (27/9).

Roriz morreu na manhã de quinta, após três paradas cardíacas, depois de passar mais de um mês internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Brasília. O ex-governador convivia por mais de uma década com um quadro grave de insuficiência renal. O patriarca da família deixa a viúva, Weslian, com quem era casado havia 58 anos, três filhas — Wesliane, Jaqueline e Liliane — e quatro netos. Também deixou órfãos milhares de candangos, especialmente moradores de cidades criadas por ele, que o chamam carinhosamente de “pai Roriz”.

 Ao som de Andorinhas, do Trio Parada Dura, uma das músicas preferidas de Roriz, os admiradores do ex-governadores acompanharam o funeral no Campo da Esperança. Uma das responsáveis pela caixa de som utilizada para reproduzir a música, a autônoma Geralda Rodrigues, 48 anos, conta que o tempo não é para choro, mas "de lembrar, felizes, o que ele fez pela cidade".

Alguns fãs de Roriz também subiram em árvores para dar o último adeus ao ex-governador. A todo momento, o nome do político era gritado pelos presentes ao cemitério. "É Deus lá em cima e Roriz aqui embaixo. Esse homem é um exemplo para os políticos que estão aí", diz o servente de pedreiro José Vieira, de 52 anos, morador de Samambaia, que deixou de ir trabalhar para prestar se despedir do ex-governador.

Welligton Luiz Moraes, secretário de Comunicação durante três mandatos de Roriz, classificava o ex-chefe como um pai. "Estive ao seu lado nos momentos felizes, mas principalmente nos tristes. Foi isso que nos deixou tão próximos. Durante toda a sua carreira política, nunca o abandonei", comenta. De acordo com Weligton, "era impossível não se transformar ao lado de Roriz". "Boa parte da minha personalidade foi moldada a partir dele. A partir da 'escola Roriz'", afirma.
     Dona Weslian acompanhou a cerimônia ao lado das filhas
      (foto: Ana Viriato/CB/D.A.Press)

A família do governador acompanhou a cerimônia em uma área reservada. Ao deixar o cemitério, Dona Weslian foi consolada pelo público, com aplausos, palavras de carinho e de ordem: "Ele foi único". Candidato a deputado  federal pelo Pros, Joaquim Roriz Neto também recebeu o apoio do povo. Muitos simpatizantes pediram para que ele seguisse os passos do avô e desse atenção aos mais humildes. "As eleições são a última coisa que estou pensando agora. Estou pensando só na minha avó. Ela vivia em função dele, sempre", diz Joaquim Roriz Neto, antes de deixar o cemitério.

Fonte: Correio Braziliense / Jornal Águas Lindas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas