PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Em Goiás cervejas da Backer começam a ser recolhidas após casos de intoxicações em MG

Empresa que faz distribuição da cervejaria em Goiás estima recolher 300 garrafas da marca Belorizontina, em investigação pela Polícia Civil e pelo Ministério da Agricultura.





Uma empresa que faz distribuição das marcas da cervejaria Backer em Goiás, que preferiu não se identificar, começa nesta semana a recolher o estoque de todas as linhas vendidas no estado. A distribuidora informou que estima recolher 300 garrafas da marca Belorizontina em Goiânia, depois de pedido de recolhimento emitido pelo Ministério da Agricultura (Mapa).

Três mortes por suspeita de síndrome nefroneural, provocada pela substância dietilenoglicol, estão sendo investigadas em Minas Gerais. Um caso já foi confirmado pela Secretaria Estadual de Saúde do estado. A substância foi encontrada e marcas de cerveja da Backer.

O G1 fez contato com a cervejaria e aguarda o posicionamento sobre o calendário de recolhimento em Goiás.

O representante comercial disse que os lotes investigados pela Polícia Civil de Minas Gerais e pelo Mapa não foram distribuídos em Goiás, mas que a cervejaria enviou um comunicado por e-mail com o pedido de recolhimento por segurança de todas as marcas. A empresa de distribuição frisa que não há nenhuma garrafa em Goiás dos lotes sob investigação.

"A última compra feita na cervejaria por clientes de Goiás foi em setembro do ano passado. Esses lotes sob investigação são de outubro. A gente fez um mapeamento para onde vendemos e não veio nenhuma garrafa do lote para cá", disse a distribuidora.

O pedido de recolhimento enviado pela própria cervejaria à distribuidora goiana é para retirar de circulação todas as marcas vendidas entre outubro e dezembro do ano passado. Em Goiás, a distribuidora afirma ter vendido as marcas da cervejaria em Pirenópolis, Goiânia e Jataí.

O gerente do bar Belgian Dash Pub, em Goiânia, Wilton Cavaion, separou quatro caixas das marcas que ainda tem no estoque para serem recolhidas. São duas caixas de Belorizontina e duas de Medieval. Cavaion recebeu nesta semana o comunicado da Backer pedindo para retirar de venda qualquer marca em exposição no estabelecimento.

O recolhimento será seguido de ressarcimento, segundo Cavaion. Para o bar que gerencia, a cervejaria devolverá R$ 520. "Chegamos a receber o pedido de duas caixas da Belorizontina e da Medieval quando a notícia se espalhou. Imediatamente mantive as caixas guardadas e no terceiro dia após a divulgação das mortes, a empresa nos procurou", explica Cavaion.

Segundo o gerente, alguns clientes ainda pedem para consumir cervejas da Backer de outras linhas, como a Backer Pilsen. No entanto, por precaução, elas não são mais vendidas.

Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas