PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Após quarto assassinato em 2020 motoristas de app pedem mais segurança

Ângelo Sebastião Ávila foi encontrado morto perto de Cristalina (GO). Corpo de Túlio Russel Cesar estava em estrada de chão no Sol Nascente. 



Mais dois motoristas de aplicativo foram assassinados no Distrito Federal neste domingo (9/2). À noite, a Polícia Militar informou que localizou o corpo de Ângelo Sebastião Ávila, 71 anos, com diversas perfurações de arma branca pelo corpo, entre o Parque Marajó, em Valparaíso (GO), e Alphaville, um distrito de Cristalina (GO). Segundo a corporação, a vítima, que era sargento aposentado da PM, atendeu a uma corrida no Terminal Rodoviário de Sobradinho, com destino ao Parque Marajó. Até o fechamento desta edição, nenhum suspeito havia sido preso.

A outra vítima, Túlio Russel Cesar, 27 anos, foi encontrada morta, junto ao carro que dirigia, em uma estrada de chão no Sol Nascente. Poucas horas depois, a Polícia Civil deteve dois suspeitos, entre eles, um menor de idade. O caso é investigado como latrocínio pela 23ª Delegacia de Polícia (P Sul — Ceilândia). O adolescente foi liberado.

À Polícia Civil, a esposa do motorista contou que Túlio costumava trabalhar durante a madrugada aos fins de semana e que ela acompanhava o percurso dele em tempo real. A mulher decidiu procurar a delegacia, no início da manhã, após notar que o motorista estava parado no Sol Nascente havia mais de duas horas. “Ela foi até a 24ª Delegacia de Polícia (Setor O — Ceilândia) e relatou o fato. Os agentes foram ao local indicado pelo GPS e encontraram Túlio morto”, detalhou o delegado adjunto da 23ª DP, Maurício Iacozzilli. A 23ª DP ficou à frente do caso devido à área ser de responsabilidade da unidade.

O Corpo de Bombeiros também foi acionado. Por volta das 7h30, a corporação recebeu um chamado para atender uma vítima que teria sido agredida e estaria desacordada, mas, ao chegarem ao local, bombeiros se depararam com o motorista morto.

Túlio foi atingido com um tiro na cabeça. O celular da vítima não foi localizado. Entre os pertences no carro, estavam uma caixa de ferramentas e um casaco. O veículo foi encaminhado para uma perícia mais detalhada em busca de mais provas sobre a autoria do crime, como digitais. O jovem fazia corrida em duas plataformas — 99 Táxi e Uber. A Polícia solicitou informações às duas empresas sobre a última corrida feita pela vítima.

Prisão

Horas depois do crime, agentes da 23ª DP prenderam um homem e apreenderam um adolescente suspeitos do crime. “Eles estavam com uma arma de fogo de calibre compatível com o ferimento da cabeça da vítima (Calibre 22), mas não podemos afirmar que foram eles. Nós vamos esperar o exame de balística e verificar se tem alguma digital deles no veículo”, explicou Maurício. Na delegacia, os dois negaram a autoria do crime. O homem foi encaminhado para a carceragem por porte ilegal de arma de fogo e o adolescente, liberado. Os dois tinham passagem por roubo.

Crime recorrente

Este é o terceiro motorista por aplicativo morto somente este ano. O crime recorrente assusta os profissionais que pedem mais segurança. “Nós saímos para trabalhar e não temos segurança para voltar para a nossa casa, para a nossa família. É muito triste. Esse é o meio que muitos pais encontraram para manter a família, e a família acaba ficando sem eles”, lamentou o líder do movimento dos motoristas por aplicativo, Manoel Scooby.

O motorista destaca que já enviou para as empresas Uber e 99 Táxi uma pauta com medidas de segurança. Entre elas, reconhecimento facial dos passageiros, foto de perfil, rastreamento e câmeras nos carros. Hoje, o movimento vai se reunir às 7h, no Mané Garrincha, para uma manifestação. “Na semana passada foi o Maurício, antes o Aldenys, depois o nosso amigo Samuel e hoje (neste domingo — 9/2), foi mais um colega. A gente tem que ter medidas para melhorar a segurança”, ressalta Scooby.

Por meio de nota oficial, a 99 informou que está apurando informações sobre o caso do motorista Túlio e lamentou a morte do profissional. “O app se solidariza com a família da vítima e está à disposição para colaborar com a polícia.  Para a 99, a segurança é prioridade antes, durante e depois das corridas”.  A empresa ainda destacou que o combate à violência é um desafio do Brasil e a 99 trabalha para tornar o ambiente mais seguro para os motoristas.  “A empresa investe continuamente em sistemas preventivos, ferramentas de proteção e atendimento imediato.

Como formas de prevenção antes das chamadas, a companhia mostra aos motoristas informações sobre o destino final, a nota do passageiro e se ele é frequente — além de exigir que todos os passageiros incluam CPF ou cartão de crédito”. A 99 ainda ressaltou que os motoristas podem compartilhar as rotas e que disponibiliza um botão para ligar direto para a polícia, além de uma central 24h para emergências.

A Uber também lamentou a morte do motorista. Por meio de nota oficial, a empresa informou que Túlio atuava no aplicativo como motorista parceiro, mas, até o fechamento desta edição, não foi possível confirmar se o caso ocorreu durante uma viagem do aplicativo. “Neste momento, nossos sentimentos de pesar estão com seus familiares e amigos. Esperamos que o crime seja esclarecido rapidamente e que os responsáveis sejam levados à Justiça”, disse.

A empresa ainda destaca que a segurança é prioridade para a Uber. “Estamos sempre buscando, por meio da tecnologia, fazer da plataforma a mais segura possível de uma forma escalável. Hoje uma viagem pelo aplicativo já inclui ferramentas de segurança antes, durante e depois de cada viagem”, completou. Entre as medidas de segurança, está a exigência do usuário, que queria pagar somente em dinheiro, de inserir o CPF e a data de nascimento, o compartilhamento de localização, ligação direta para a Polícia e para o app, e bloqueio de viagens consideradas potencialmente arriscadas, entre outras.

Memória

Assassinado: 18 de janeiro
• Aldenys da Silva, 29 anos, foi encontrado morto às margens da BR-070, em Brazlândia, em direção a Águas Lindas. O caso é investigado pela 19ª Delegacia de Polícia (P Norte - Ceilândia). A suspeita da polícia é de que um jovem de 19 anos teria solicitado uma corrida por aplicativo e, ao tentar roubá-lo o matou.


Morto com perfurações: 23 de janeiro
• O corpo de Maurício Cuquejo, 29, estava em uma vala de contenção na Granja do Torto. A vítima tinha perfurações no rosto, braço e perna e foi localizada a poucos metros do carro utilizado nas corridas, um Renault Logan branco. As investigações apontam para homicídio ou latrocínio.

Sequestro e agressão: 31 de janeiro
• Samuel Veras dos Santos ficou cerca de 20 horas refém de um casal que pediu uma corrida na Estrutural. O motorista foi resgatado dentro do carro amarrado e ferido.

Com informações do Correio Brasiliense 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas