PLANTÃO DE NOTÍCIAS

Detento é solto por engano na Unidade Prisional de Planaltina de Goiás

Ele é investigado pelo crime de homicídio e foi liberado no lugar de outro suspeito, que teria roubado uma bicicleta e uma corrente de prata. PC investiga o caso




Um detento investigado por homicídio foi solto por engano da Unidade Prisional de Planaltina de Goiás, no entorno do Distrito Federal (DF). Ele foi libertado no lugar de outro reeducando, Bryan Sousa Silva, suspeito de roubar uma bicicleta e uma corrente de prata. O erro aconteceu no dia 27 de janeiro. O nome do homem solto não foi informado, devido
à nova Lei de Abuso de Autoridade.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), por meio de nota, informou que comunicou o caso à Polícia Civil (PC). Ela também ressaltou que o fato será apurado internamente para que os responsáveis sejam responsabilizados. Confira a nota, na íntegra, no final da matéria.

De acordo com a PC, Bryan foi detido no dia 27 de setembro. À época, o valor estipulado da fiança era de R$ 20 mil, mas a defesa conseguiu a dispensa do pagamento e o alvará de soltura. Entretanto, no dia em que seria solto, aconteceu a troca.

Ainda de acordo com a PC, foi registrado que Bryan pode ter colaborado com a troca de nomes. Por esse motivo, ele também é investigado pelo crime de falsidade ideológica.

O Mais Goiás não conseguiu contato com a defesa dos envolvidos. O espaço está aberto para manifestação.

“Nota da DGAP

A Superintendência de Segurança Penitenciária (Susepe) da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) informa que providências estão sendo tomadas em relação à soltura  indevida de um detento da Unidade Prisional Regional de Planaltina no dia 27 de janeiro de 2020.  A superintendência Informa ainda que o fato está sendo apurado internamente para a aplicação das sanções aos responsáveis pelo ocorrido.
A direção do presídio ressalta que de imediato foi comunicado as autoridades competentes sobre o equívoco, além das policias locais para auxiliar na recaptura do mesmo. A ocorrência, sob investigação da Polícia Civil.
Denúncias que possam levar à recaptura dos detentos podem ser realizadas por meio de denúncias anônimas, pelo 197 da Polícia Civil, pelo 190 da Polícia Militar ou pelo (62) 3201-1212 da Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública.”

DGAP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Jornal Águas Lindas gerenciado pela agencia Marck Publicidade Copyright © 2018

Imagens de tema por Bim. Tecnologia do Blogger.
Publicado Por Jornal Águas Lindas